dengueTransmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti, a dengue é uma doença viral que se espalha rapidamente no mundo. A ação mais simples para prevenção da dengue é evitar o nascimento do mosquito, já que não existem vacinas ou medicamentos que combatam a contaminação. Para isso, é preciso eliminar os lugares que eles escolhem para a reprodução.

A regra básica é não deixar a água parada em qualquer tipo de recipiente. Como a proliferação do mosquito da dengue é rápida, além das iniciativas governamentais, é importantíssimo que a população também colabore para interromper o ciclo de transmissão e contaminação. Com a chegada das chuvas de verão, típicas em boa parte do Brasil, é importante começar a prevenção o quanto antes.

Então, a orientação é manter recipientes, como caixas d’água, barris, tambores, tanques e cisternas, devidamente fechados e não deixar água parada em locais como: vidros, potes, pratos e vasos de plantas ou flores, garrafas, latas, pneus, panelas, calhas de telhados, bandejas, bacias, drenos de escoamento, canaletas, blocos de cimento, urnas de cemitério, folhas de plantas, tocos e bambus, buracos de árvores, além de outros locais em que a água da chuva é coletada ou armazenada.

Confira algumas dicas que ajudam a prevenir a dengue.

 

Cuidados com o jardim e quintal


Elimine os pratinhos de vasos com plantas




Em plantas em água para enraizar, manter a boca do recipiente protegida por algodão, papel alumínio, tecido, etc.

Lavar com mangueira em jatos fortes 2 vezes por semana, Bromélias ou plantas que acumulam água, para  retirar a água que estava acumulada pois pode conter larvas do mosquito

Preencher com serragem, cimento ou areia os ocos das árvores, bambus



Preencher com massa ou areia os muros com cacos de vidro



Depósitos e lixeiras


Fazer furos na parte inferior das lixeiras externas

Manter o lixo doméstico ensacado e o recipiente tampado.

Furar e encaminhar para a reciclagem os pneus usados sempre que possível; se utilizados como brinquedos infantis faça um furo na parte inferior; se ainda utilizáveis guardá-los secos e cobertos.

Furar, amassar, cortar, picar, etc. o vasilhames  descartados (casca de coco, latas de refrigerantes, copo plástico), garrafas, embalagens, etc. de maneira que não se transformem em recipientes nos locais finais de depósito.

Animais Domésticos


Mantê-los limpos e tampados ou telados os aquários para peixes e, se possível, criar uma espécie larvófoga (que se alimenta de larvas)

Diminuir o número de bebedouros  para cães, gatos, passarinhos e escová-los quando trocar a água.

No Banheiro


Manter  sempre bem limpos e jogar água sanitária duas vezes por semana nas caixas de descarga, vasos sanitários e ralos com pouco uso



É bom lembrar que o ovo do mosquito da dengue pode sobreviver até 450 dias, mesmo se o local onde foi depositado estiver seco. Caso a área receba água novamente, o ovo ficará ativo e pode atingir a fase adulta em um espaço de tempo entre 2 e 3 dias. Por isso é importante eliminar água e lavar os recipientes com água e sabão.





O Brasil registrou 587,8 mil casos de dengue e 405 óbitos em 2014, de acordo com balanço do Ministério da Saúde. Há suspeita de dengue em casos de doença febril aguda com duração de até 7 dias e que se apresente acompanhada de pelo menos dois dos seguintes sintomas: dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dores musculares, dores nas juntas, prostração e vermelhidão no corpo.

O vírus da dengue pode se apresentar de quatro formas diferentes, que vai desde a forma inaparente, em que não há sintomas, até quadros de hemorragia, que podem levar o doente ao choque e ao óbito.

 

 

 

 

Fonte: Blog da Saúde